Comunicado: Comboio Internacional Sud Expresso / Lusitânia

O comboio Sud Expresso saindo de Lisboa ao fim do dia, no ano de 2006.

A APAC – Associação Portuguesa dos Amigos dos Caminhos de Ferro vem por este meio expressar a sua maior preocupação face à aparente ausência de negociações para a retoma do comboio internacional Sud Expresso Lisboa – Hendaye (França) e Lusitânia Lisboa – Madrid (Espanha), suprimidos em Março na sequência das medidas introduzidas para controlo da pandemia. Sendo a sua suspensão temporária perfeitamente compreensível, a ausência de planos para a sua retoma afigura-se como uma questão séria e que compromete a conectividade da rede ferroviária nacional e a disponibilização de uma alternativa de transporte com externalidades reduzidas para viagens internacionais.

Foi pública a devolução e resguardo dos comboios Trenhotel Talgo, habitualmente servindo nestas duas relações, e são frequentes as notícias nos meios de comunicação de Espanha sobre a resistência da RENFE em retomar a operação de qualquer um destes comboios em regime noturno. A hipotética circulação diurna particularmente no eixo Lisboa – Madrid parece-nos ainda muito desadequada, dado o elevado tempo de viagem permitido pelas atuais infraestruturas, que aconselham muito mais a uma viagem efetuada durante a noite, aproveitando o sono dos passageiros para “diminuir” o tempo de viagem percecionado e aumentar a sua atratividade.

Os comboios noturnos estão neste momento a conhecer uma forte promoção em praticamente toda a União Europeia e a Península Ibérica não pode ficar longe desta aposta. À entrada para 2021, onde Portugal assumirá a presidência rotativa do Conselho da União Europeia e que está consagrado como o ano europeu da ferrovia, parece-nos crítico discutir a pertinência dos eixos noturnos envolvendo a rede portuguesa, sobretudo considerando que essa pode ser uma alternativa viável e imediata para que os passageiros portugueses possam aceder, com um mínimo de qualidade e competitividade, à rede de alta velocidade europeia que se vai concretizando e que hoje parte já de Madrid, Barcelona ou Hendaye. Barcelona e Bordéus serão âncoras de extremidade da nova rede de comboios noturnos que vem sendo aumentada e atualizada numa base quase mensal, com perspetivas de implementação entre 2021 e 2024. É assim fundamental cuidar da ligação final entre estes nós da rede europeia e as principais estações portuguesas, como Lisboa e Porto.

A APAC apela assim aos responsáveis da tutela de Portugal e Espanha para que possam agir no mais curto prazo com o objetivo de restaurar as ligações internacionais noturnas da rede portuguesa e espanhola, preparando ainda um plano de reestruturação e amplificação dessa rede para convergir no âmbito da rede europeia de comboios noturnos atualmente em discussão e concretização. Relembramos ainda que a recuperação, renovação e compra de composições para tráfego noturno foi apontado pela Comissão Europeia como um dos pontos importantes a financiar pelos pacotes de recuperação económica colocados em marcha no pós-Covid.

Não esquecendo, 2021 foi designado pela Comissão Europeia como o Ano Europeu do Transporte Ferroviário, pelo que urge desenvolver este tipo de iniciativas!

Deixe uma resposta