MNF incorporou UTD 0655 e UTE 2057

A APAC congratula-se pela recente incorporação, pelo Museu Nacional Ferroviário, das automotoras de fabrico SOREFAME UTD 0655 e UTE 2057.

A UTE 2057 já no Museu Nacional Ferroviário, ao lado da 0111 onde a nossa associação está a trabalhar. Fotografia: MNF

O processo que agora terminou comprova o interesse de transferir para a coleção museológica nacional, a cargo da Fundação do Museu Nacional Ferroviário Armando Ginestal Machado, o material circulante desativado com evidente interesse patrimonial, em bom estado de conservação e, como é o caso, em perfeito estado funcional. Estas incorporações permitem ao Museu, e por arrasto a todos os contribuintes e demais benfeitores, poupar verbas avultadas associadas ao restauro de peças de inequívoco interesse histórico.

No caso da UTE 2057 é o culminar de um processo onde a APAC se manifestou publicamente quanto ao interesse de preservar em especial esta unidade, na sequência do problemático processo que impediu a preservação da UTE 2001. Importa recordar a posição pública da APAC nessa altura. Quanto à UTD 0655, é uma peça fundamental por se tratar das últimas automotoras diesel de via larga construídas pela SOREFAME e que, sendo salvaguardada como composição tripla, assegura a preservação do que foi o ciclo completo de vida destas automotoras, primeiro como unidades duplas e posteriormente como unidades triplas com a adição de um reboque (que esta automotora em particular trazia já de fábrica).

Saudamos por isso as entidades envolvidas, com CP e MNF a liderar o processo, pela excelente colaboração aqui observada, não esquecendo ainda o papel fundamental da Medway assegurando o apoio logístico fundamental para deslocação e arrumação das peças no Museu Nacional Ferroviário e da EMEF e IP assegurando o devido acompanhamento.

Estamos certos de que a sociedade saberá retribuir, hoje como amanhã, com decisivo contributo para a preservação ferroviária em Portugal.

Incentivamos os atores do setor para a manutenção deste espírito positivo que tanto beneficia a memória coletiva e para o qual a APAC reitera disponibilidade em continuar a colaborar, na medida do possível, para que seja possível completar a coleção nacional com os veículos que ajudam a escrever a imensa e única história ferroviária e industrial do nosso país.

Deixe uma resposta