Jornadas do Património 2016

As jornadas do Património de 2016 decorreram no passado fim de semana com várias atividades ferroviárias de relevo, sobretudo em torno do Entroncamento e do Barreiro, convertidos (e reconvertidos) em centros ferroviários e patrimoniais de excelência.

O Museu Nacional Ferroviário promoveu jornadas de portas abertas no Entroncamento, acolhendo centenas de visitantes ao longo de todo o fim de semana. O ponto alto foi a viagem do Comboio Presidencial até Lisboa, primeiro para entregas de prémios de mérito (na 6ª feira) e depois o regresso com convidados vários (no Sábado), entre os quais estavam vencedores de concursos promovidos pelo Museu e os patrocinadores do transporte do locotractor Drewry.

No Entroncamento o Museu voltou a dar uma imagem de força e dinamismo, sendo de realçar as numerosas e completas visitas guiadas, a oportunidade de exercitar os músculos e desfrutar dos quadriciclos ao ar livre ou apanhar uma boleia do comboio presidencial em miniatura que se passeou pelo circuito de modelismo tripulado.

Quanto ao Barreiro as atividades foram mais concentradas no Domingo, por iniciativa de diversas associações. A APAC surgiu como promotora de um evento organizado pelo Movimento Cívico de Salvaguarda do Património Ferroviário do Barreiro, em conjunto com outras associações locais, com a EMEF e com a APAI, que levou várias dezenas de participantes num passeio pelo imenso património ferroviário da cidade, como as oficinas gerais (ainda em atividade), a antiga oficina de manutenção da região Sul, a rotunda das locomotivas, o armazém regional, o cais de mercadorias e a estação ferro-fluvial. Além da constatação do estado do património edificado e circulante, a visita guiada na oficina da EMEF permitiu a todos contactar com a tecnologia ferroviária e com a atividade diversificada que as históricas oficinas do Barreiro desempenham nos dias de hoje.

No espaço L junto à estação do Lavradio, cerca de três dezenas de convivas juntaram-se num almoço antes de ser servida uma sobremesa de grande qualidade, com fados ferroviários entoados na estação do Lavradio. Por fim, um colóquio consagrado à salvaguarda do património ferroviário do Barreiro fechou o dia. A APAC apresentou, através da sua secção de preservação ferroviária, a visão estratégica que defende para todo o complexo ferroviário. A APAI e a ABPMF apresentaram também as suas visões sobre o assunto, constatando-se facilmente uma grande coincidência de pontos de vista. O Museu Nacional Ferroviário fez-se representar e acompanhou toda a jornada.

A sessão contou com a presença do presidente da Câmara Municipal do Barreiro, Carlos Humberto Carvalho, que encerrou as apresentações expondo várias ideias complementares. Uma breve sessão de perguntas e respostas fechou o evento, com promessas de novos diálogos futuros rumo a uma convergência que permita dignificar e redinamizar o Complexo Ferroviário do Barreiro.

A APAC gostaria de agradecer aos associados que estiveram envolvidos nestas jornadas do Património, quer ajudando a organização de eventos, quer neles participando. Agradecimento que estendemos às associações que connosco colaboraram, ao Museu Nacional Ferroviário e à Câmara Municipal do Barreiro.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixar uma resposta